Nós dois lado-a-lado, corpos grudados, mãos dadas, frente ao mar.
Suspiros.
Cena de uma fotografia perfeita.
Pausa.
Senti ciúmes do mar, me dei conta de que ele também te namorava e por ousadia tocava seus pés, delicadamente. E você gostava.
Te olhei com estranhamento, como quem perguntasse 'será que te perdi pro mar?'
Você, sem tirar os olhos dele me respondeu: 'não se pode competir com o mar!'.
Soltei da sua mão e corri.
Parti com o coração estilhaçado e com a certeza de com o mar não se pode competir.

Um comentário:

Allan Roni disse...

O mar quendo quebra na praia é bonito, é bonito...