Plano de Detalhe

E nós que pretendíamos viver durante muito tempo na vida um do outro,
no dia seguinte já não lembrávamos nossos nomes,
na semana seguinte já tínhamos um novo plano de detalhe.



Não adianta nem tentar...
O que mesmo?
Hoje, meu pior inimigo,
em compaixão ao
me ver destruída,
desabou e chorou comigo.

Ferida nos olhos/ Dor nos olhos/ Amor nos olhos.

O mar nos meus olhos embaralhava o que você tinha pra me dizer, mas eu os forçava, mesmo com o pesar pelo cansaço.
Cheguei a enxergar o que não existia, ensurdeci pra voz que berrava felicidade em meus ouvidos, só por ter olhos enganados.
As linhas que falavam sobre amor verdadeiro pareciam evaporar tão rápido quanto o seu cheiro da minha lembrança.
Esses malditos olhos esqueceram tudo, somente pra encontrar com os seus, e choraram só por ver seu sorriso.
Era fácil ler o coração cheio de coisas boas, nesses mesmos olhos que nessa semana buscam desesperadamente motivos para continuarem voltados pra você.
E os seus olhos? Onde estão? Ninguém os vê.
Entre um copo cheio e outro é possível que alguém comente e faça piada de seus olhos bêbados de felicidade passageira. E fora isso, cadê?
Estão tão cegos e enxergam somente você. 

Também não vale a pena saber o que os meus olhos sentem agora, já que os seus estão saturados e preferem cerrar, antes que você fique irritado.