Adamaltino da Costa – O Vendedor de Azeitonas


Palmas em meu portão às sete da manhã de domingo, acordei emputecida.
Homem velho, maltrapilho, deve estar pedindo dinheiro. Fui conferir.
-  Ó moça, quer comprar azeitona? – diz o homem de primeira.
-  Ah, bom dia! Azeitona?
- É, azeitona.
- Existe isso?
- O quê? Azeitona? Existe tem tempo!
- Não, não azeitona. Vendedor de azeitona, nunca vi.
- Eu também nunca vi, por isso resolvi vender. Penso que eu sendo o primeiro a vender, me dou bem.
O que eu poderia responder depois dessa, com um vendedor de azeitonas plantado em meu portão?
-  Quanto é?
- Quinze o vidro.
- Quinze o vidro?? Nossa! De onde é que vem essas azeitonas, meu senhor?
- Do mercado.
- Do mercado?  – gargalhei – Como assim, o senhor está me dizendo que as azeitonas que o senhor vende são compradas no mercado?
- É.
Nem me atrevi a questionar, não me bastava um vendedor de azeitonas, tinha que ser de azeitonas do mercado, plantado em meu portão, num domingo de manhã!
Fazia sentido pra mim, nunca vi uma plantação de azeitonas, não sei de onde elas vem além do mercado mesmo.
- Me ajuda, moça. Tenho filho pra criar.
Taí uma frase mágica no coração dos molengas. Não importa quantas teorias você tenha pra convencer alguém a não dar dinheiro nem comprar coisas dessas pessoas que usam esses argumentos, no final, você vai ajudar. Mesmo achando que na verdade eles vão comprar pinga.  Nesse caso, existe a justificativa “pelo menos não está roubando ou pedindo”.
Pedi pro velho esperar e voltei com o dinheiro.
- Tá aqui. Espero que essas azeitonas sejam boas, viu?
- Azeitona é tudo igual, moça. – é tudo que um consumidor quer ouvir de um vendedor.
- Claro que não, algumas são pretas e até sem coroços.
- Essas não tem graça, o bom é ficar mastigando o caroço e depois jogar o mais longe que você conseguir com a boca. – claro, é isso que eu faço sempre que como azeitonas.
- Verdade. – sorriso amarelo.
- Obrigado, até mais, moça. – ah, eu espero que não.
- Tudo bem, de nada.
Ele seguiu, e eu também, de volta pra minha caminha quentinha de domingo de manhã.
____

- Diego, o que você acha de um vendedor de azeitonas?
- Inútil.
- E o que você acha de quem compra azeitonas de um vendedor de azeitonas?
- Idiota.
- Tá certo. Você gosta de azeitonas?
- Bastante.
- Se quiser, tem um estoque na geladeira.

13 comentários:

júlia vita disse...

Gostei muito dos seus textos! Parabéns! =]

Rolando disse...

oi menina. Estive aqui. muito legal. apareça por lá. abraços.

Mônia R. disse...

Amei esse texto. Você é boa. Eu vejo o que diz, e sinto o que vejo.

Parabéns.

H A R R Y G O A Z disse...

Happy New Year !!!

Diego Cosmo disse...

http://dcosmo.blogspot.com/ - "Cosmo a Pé"

Anônimo disse...

Put a link to me in your blog, inform me and I will put a link to you in my blog

http://aduanapt.blogspot.com/

Ana Julia disse...

te mandei um selo.
ve la no meu blog

manuela barroso disse...

Sempre o silêncio para completar um quadro que se quer perfeito.
E gostei como o disse!
Abraço!

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Karla, que legalzinha esta estórinha. É mesmo uma curiosidade vender azeitonas na base do porta à porta, né? Bem bolada!
Adorei o seu blog. Muito criativo. Nem vou seguí-lo. Vou perseguí-lo.
Bjs.
Manoel.

;) disse...

Olá, tudo bom?
Gostei muito daqui.
Que tal dar uma passada lá no meu blog?
Beijos.
www.booksandsoul.blogspot.com

Jutilandia Ferreira disse...

...gostaria de lhe convidar para participar do meu blog e também divulgar ou participar do PROJETO SINTONIA.
obrigada!

http://jutilandia-terapeuta.blogspot.com/

pompom disse...

You have got a nice blog site..

Soninha disse...

que maravilha de texto!! abraços