"Não adianta represar os rios se não se pode parar a chuva".

Queria jogar umas coisas fora, queria deixar umas lembranças pra trás e viver de coração leve.
Sabe o que eu queria mesmo? Ser bonita, me achar bonita. Ser inteligente, afrodisíecamente inteligente. Pra alguém eu devo ser, afinal.
Essa sensação de que a vida está sempre uma bagunça, é tão triste, não sei, eu costumava ser feliz. Achei que essa fase da minha vida seria muito boa, a melhor de todas. Eu ando chateada, me esforçando pra não pensar em como eu estou vazia e triste no final das contas.
Estou vivendo uma vida que não é minha. Eu escolhi, mas não é minha. E todo mundo que me olha no fundo dos olhos sabe que eu virei coadjuvante da minha própria vida.
Claro que nem tudo é ruim. Gosto de ter pés quentinhos esquentando os meus todas as noites, por exemplo.
Sabe quando você perde o controle da sua vida? Você simplesmente não sabe o que fazer, o que vai ser de você, você não tem um plano. Eu sei. Nunca vivi assim, mas nem é tão desesperador quanto parece.
Acho que estou precisando dar uma agitada na vida.
Quem dera eu pudesse viver uma paixão louca e arrebatadora, daquelas que dilaceram e fazem seu corpo estremer. Será que existe isso mesmo? Taí, acho que ainda espero viver algo assim um dia.
Hoje o dia está uma delícia, como há muito tempo não lembro estar. Cinza, chuvoso, não tão quente como costuma ser o inferno chamado Manaus.
Manaus. Ando tão cansada dessa cidade, tem dias que eu me questiono como cheguei aqui. Estou contando com as incertezas da minha vida pra sair daqui correndo assim que possível. Parece terrível, né? E é. Mentira. Encontrei pessoas muito interessantes e inteligentes por aqui nos últimos meses, muito mais do que eu, diga-se de passagem. Eu tenho meu charme, claro, também não sou assim tão sem graça. Tem quem seja mais do que eu, pra minha sorte.
O fato é que essas pessoas melhoraram meu tempo aqui na cidade. E eu me aproveito sexualmente delas, por diversão. Mentira, nem me aproveito. De algumas até que eu gostaria. Mas estou tranquila repetindo o prato - eu consigo ser tão podre às vezes - sempre que possível.
Por falar em prato e sexo, acho que preciso dormir, viu? Já amanheceu faz tempo, mas o sono mesmo só bateu agora. Que qualidade de vida, hein? Foda-se.
Até a próxima.

Um comentário:

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção